Dior com Johnny Depp
1 de setembro de 2015
UPDATED! Jeff e a Beleza da Festa da Uva
12 de setembro de 2015

O Brasil é o número um, desde 2014 no ranking de cirurgias plásticas estéticas realizadas no mundo, ultrapassando até mesmo os Estados Unidos. Somente em 2013 foram realizadas mais de 1.400.000 cirurgias estéticas no país. Destas, a cirurgia de aumento das mamas, o popular Silicone, lidera as estatísticas representando mais de 20% do total dos procedimentos.

As próteses de silicone surgiram em meados de 1963 através dos cirurgiões Gerow e Cronin. Eram revestidas com silicone liquido em pequenas quantidades. Com o passar dos anos a procura pelo silicone aumentou progressivamente, estourando nos anos 2000.

Hoje existem tipos de próteses mamárias que variam não só em tamanhos, mas em material sintético utilizado, com diferentes tipos de silicone, texturas, formatos e projeções. No consultório você vai escolher junto com o seu médico pelas próteses redondas, anatômicas ou naturais. Para cada paciente há indicação do melhor tipo de prótese, focando um ótimo resultado e visando o mínimo de complicações no pós-operatório.

Com a evolução das próteses mamárias, não se estipulam mais prazos para realizar a troca do silicone, mas sabe-se que após 10 a 15 anos o índice de algum problema nas próteses aumenta estatisticamente. Por muito tempo também se discutiu a influência gerada pelas próteses mamárias em relação à amamentação e ao diagnóstico de câncer de mama, concluindo-se que as mesmas não causam nenhum prejuízo com relação ao primeiro, tampouco estão relacionadas ao aparecimento do segundo. Isto se deve ao fato de que as próteses mamárias são inseridas atrás das glândulas mamárias e de seus ductos produtores de leite, não impedindo sua visualização nos exames de mamografia.

As vias de acesso para colocação do silicone também geram dúvidas. Pode-se optar pela via inframamária (sulco abaixo das mamas), periareolar (por incisão na aréola) ou via transaxilar (menos usada). O seu cirurgião plástico vai avaliar isso na consulta pré-operatória. As técnicas de inserção das próteses também variam quanto a localização das mesmas, podendo optar-se por serem retroglandulares (atrás das glândulas mamárias), subfascial (atrás da fascia, membrana que recobre o músculo peitoral) ou submuscular (abaixo do músculo peitoral maior). Somente após a avaliação física da paciente e discussão sobre as expectativas da mesma, podemos decidir a técnica a ser utilizada, o tipo e o tamanho das próteses de silicone.

Enfim, sabemos que os seios representam um importante símbolo de feminilidade. Por isso, a cirurgia de aumento do volume mamário é extremamente gratificante pelos resultados imediatos e duradouros. Esta cirurgia aumenta drasticamente a autoestima de pacientes com volume mamário pequeno seja por motivos genéticos, após grande perda de peso, após a gestação e amamentação e, principalmente, após o tratamento cirúrgico do câncer de mama.

Se você está pensando em aumentar os seios saiba que o procedimento é acessível e demanda pouco tempo de repouso (em torno de 15 dias). A cirurgia impacta muito pouco na rotina, mas muito na autoestima! Consulte um cirurgião plástico credenciado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC) para fazer uma avaliação médica e para realizar a cirurgia do aumento do volume mamário com segurança.

Dr. Lourenço Teixeira.

CREMERS: 30002 | RQE: 26631

 

Dani Conte
Dani Conte
Escreve sobre moda, beleza e tendências, mas também dá seus pitacos em outros assuntos. Revisa demonicamente todos os conteúdos do blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *