Os Gigantes da Moda e o Coronavírus

Super Mangas: invista!
19 de março de 2020
HOME SWEET HOME OFFICE
31 de março de 2020

O Coronavírus está mexendo com o mundo da moda de uma forma diferente do usual, e eu vou contar aqui algumas iniciativas das gigantes do fashion business neste momento de pandemia da Covid-19.

LVMH

A LVMH, holding gigante de marcas de luxo que detém Louis Vuitton, Fendi, Celine, Christian Dior, Emilio Pucci entre outras – apenas citando marcas de moda!-, destinou fabricas inteiras de perfumes e cosmética para produção de álcool gel desinfetante, que estão sendo doados às autoridades de saúde da França.

FAST FASHION

A H&M destinou parte da sua cadeia produtiva  para a produção de equipamentos de proteção individual e roupas para profissionais da saúde. Além disso, com o objetivo de ajudar a prevenir o alastramento da doença, a Fundação H&M, organização sem fins lucrativos, doou U$ 500 mil para a Organização Mundial da Saúde.

O grupo INDITEX (leia-se Zara e outras marcas importantes do fast fashion) reorganizou parte da sua produção e logística para atender as necessidades de equipamentos de proteção de equipes hospitalares. A distribuição de máscaras já está acontecendo, bem como a aquisição de tecidos especiais para roupas médicas, que serão confeccionadas nas fabricas do Grupo. 

A espanhola MANGO anunciou a distribuição de dois milhões de máscaras para os hospitais da Espanha.

ITALIANAS

A GIORGIO ARMANI, que apresentou a portas fechadas (e online) seu Inverno 2020/21 e adiou Cruise Collection, fez uma doação de 1,25 milhão de euros. O dinheiro vai para hospitais de Milão, e para o Istituto Lazzaro Spallanzani, em Roma. Parte do valor também será usado para apoiar a Agência de Proteção Civil nacional, que gerencia situações de emergência na Itália.

A DOLCE & GABBANA está apoiando um estudo da Universidade Humanitas, em Milão, com o objetivo de desvendar as respostas do sistema imunológico ao coronavírus.

A BVLGARI fez uma doação ao Departamento de Pesquisa do Hospital Lazzaro Spallanzani em Roma, a primeira equipe médica a isolar o vírus em menos de 48 horas. 

A VALENTINO anunciou, junto com a MAYHOOLA, holding detendora da marca, a doação de 2 milhões de euros. Metade do montante será destinada ao Hospital Sacco de Milão, para instalação de um novo sistema de ventilação que vai auxiliar a equipe médica no tratamento de pacientes infectados. A outra metade do valor subsidiará os esforços extraordinários da Proteção Civil Italiana em meio à crise.

A PRADA também anunciou que vai utilizar uma de suas fábricas para produzir 80 mil macacões médicos e 110 mil máscaras para profissionais da saúde.

GRUPO KERING

O Grupo Kering, detentor da GUCCI, BOTTEGA VENETA, BRIONI, POMELLATO… – citando apenas algumas italianas comandadas pela holding -, destinou 2 milhões de euros para instituições de saúde na Lombardia, Vêneto, Toscana e Lácio.

As fabricas francesas das marcas BALENCIAGA e YVES SAINT LAURENT, comandadas pelo mesmo grupo, vão produzir máscaras.

A GUCCI fabricará 1,1 milhão de máscaras e 55 mil aventais para os profissionais de saúde italianos. 

Ainda, o Grupo Kering anunciou a aquisição de 3 milhões de máscaras da China para doar para o sistema de saúde da França.

VOGUE AMERICA

A Vogue norte-americana e o Conselho de Fashion Designers da America (CFDA) criaram um fundo de arrecadação para apoiar membros da indústria de moda local, cujos negócios tenham sido afetados pela crise do coronavirus.

As inscrições para se beneficiar das doações iniciam em abril, e não serão limitadas aos membros do CFDA.

E as iniciativas não param de surgir… que bom né?

Beijos!

 

 

Dani Conte
Dani Conte
Escreve sobre moda, beleza e tendências, mas também dá seus pitacos em outros assuntos. Revisa demonicamente todos os conteúdos do blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *