Em 2015 faça mais você mesmo!
29 de dezembro de 2014
O Consome-Dor
4 de janeiro de 2015

Oi, gente!

Já estou no clima “vem me fazer feliz, 2015!”,  mas não queria encerrar 2014 assim, com um post de sugestão de decoração ou de maquiagem… Eu quero encerrar agradecendo LITERALMENTE!

Ok. Este é um período em que já não é mais 2014 e ainda não é 2015. Parece que o Ano acaba dia 24 de dezembro e que até o dia primeiro de janeiro vivemos em um universo paralelo sem data. Perdoem-me os aniversariantes da época, e eu conheço vários, mas parece que o mundo fica em stand by neste período.

Concordo com quem diz que toda aquela de felicidade exagerada dessas datas é falsa, mas vamos combinar que a ojeriza a essas comemorações também não é verdadeira. Aliás, eu penso que ela seja ainda mais nociva do que a felicidade exagerada porque ela é uma invenção azeda de quem quer se defender dos próprios sentimentos.

Aquela coisa de que “é um dia normal” é cocô de boi (bullshit!). NÃO É UM DIA NORMAL!

O Ano muda para marcar um ciclo. Outro período igual se iniciará: dias de chuva, dias de calor, dias de frio, dias longos, dias curtos, dias mais luminosos, outros menos… Podemos considerar bobo se olharmos para a vida prática, mas, perdoem-me, para mim bobos são os que vivem apenas de praticidades.

Zilhões de explicações históricas, culturais, religiosas e astronômicas existem e eu não vou me perder nessas complexidades. O fato importante é que o calendário que utilizamos e que nos fará comemorar o Reveillón hoje é o que melhor se aproxima da “justiça”. Isto porque este calendário contempla todos os “cantos” da Terra com todos os ciclos climáticos e todas as variações de incidência de luz solar próprios de cada região.

Nós precisamos de ciclos! Pausar e avaliar o caminho percorrido – seja para recalcular a rota ou para seguir em frente – nos ajuda a viver melhor. Então por quê não usar o dia em que isso é praticamente institucionalizado para fazê-lo? E agradecer… agradecer pelo trecho mal calculado, inclusive, porque agradecer faz bem e parece que nos autoriza a seguir em frente desejando coisas boas.

Ter desejos felizes não é sinal de fraqueza – ao contrário disso: é sinônimo de capacidade emocional!

Eu ando bem feliz porque 2014 me mostrou onde não gastar energias e onde insistir. Me trouxe maturidade para me aceitar. E me deu todos os sinais que eu precisava para deitar a cabeça tranquila no travesseiro por saber que eu estou no caminho certo.

Eu só tenho a agradecer 2014, que foi duro, mas muito bom para mim e que trouxe para perto pessoas incríveis, com quem eu pretendo continuar a caminhada de Danny Hellen por muito, mas muuuuuito tempo!

feliz2015_motivos

Agora só falta um banho de sal grosso, um banho de rosas com canela, a espumante geladíssima e o sorrisão estampado para gritar: VEM ME FAZER FELIZ, 2015!

Beijos!!!

Ai, TÁ!!!! Vou dar uma dica de drink para esperar o Ano Novo:

Muuuuuito gelo, uma tirinha de casca de laranja torcidinha (para dar o spread do azedinho da casca no copo) e espumante demi-sec. Te joga que é o ouro!

FELIZ ANO NOVO!!!!!!

 

Dani Conte
Dani Conte
Escreve sobre moda, beleza e tendências, mas também dá seus pitacos em outros assuntos. Revisa demonicamente todos os conteúdos do blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *